17 de Dezembro de 2019 - 13h:40

Tamanho do texto A - A+

Bovespa opera em alta nesta terça-feira

Na véspera, Ibovespa fechou em queda de 0,59%, aos 111.896 pontos.

Por: G1

O principal índice da bolsa de valores brasileira, a B3, opera em alta nesta terça-feira (17), em meio a um quadro misto nas praças financeiras globais.

 

Às 14h11, o Ibovespa subia 0,48%, aos 112.436 pontos.

 

Na véspera, o índice fechou em queda de 0,59%, aos 111.896 pontos. Durante o pregão, porém, alcançou 113.197 pontos – nova máxima intradia. Na parcial do mês, a bolsa tem alta de 3,38%. No acumulado do ano, o avanço chega a 27,32%.

 

Ata do Copom

 

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central informou nesta terça-feira que os os dados sugerem que a economia brasileira "ganhou tração". A avaliação consta da ata da última reunião do comitê, realizada semana passada, quando foi definida a redução do juro básico da economia para 4,5% ao ano.

 

O comitê acrescentou, porém, que informações indicam que a economia segue operando com "alto nível de ociosidade dos fatores de produção, refletido nos baixos índices das medidas tradicionais de utilização da capacidade da indústria e, principalmente, na taxa de desemprego".

 

Perspectivas

 

Estrategistas do BTG Pactual estimam que as ações brasileiras continuarão sua trajetória positiva em 2020, após forte desempenho por quatro anos consecutivos, de acordo com relatório a clientes nesta terça-feira.

 

Eles estimam que o Ibovespa alcançará 134 mil pontos em 2020, de acordo com o cenário base que contempla crescimento sustentado de 2% do PIB e taxas de juros reais de longo prazo no patamar de 3%, entre outras variáveis. Tal meta, se confirmada, representaria valorização de quase 20% ante o atual patamar.

 

Em 2019, o Ibovespa já acumula alta de cerca de 27%, após ter avançado 15% em 2018, quase 27% em 2017 e ao redor de 39% em 2016.

 

Sequeira e Osni Carfi também ressaltam que a alocação para as ações brasileiras, tanto por investidores estrangeiros quanto locais, estão em níveis bastante reduzidos, mesmo com o recente crescimento no fluxo de investidores locais para a bolsa - com a participação desse segmento ainda abaixo da média entre 2011 e 2014 e principalmente do pico de 2007.

 

"Com as taxas de juros em níveis historicamente baixos, esperamos que os locais continuem a aumentar a participação de suas carteiras investidas em ações em 2020", escreveram, destacando, contudo, que os investidores estrangeiros têm sido muito mais cautelosos.

VOLTAR IMPRIMIR