08 de Junho de 2021 - 13h:57

Tamanho do texto A - A+

Bovespa fecha em alta pelo 8º pregão seguido e renova máxima com impulso de bancos

Nesta segunda-feira (7), a bolsa fechou com avanço de 0,50%, a 130.776, renovando recorde.

Por: G1

Nesta segunda-feira (7), a bolsa fechou com avanço de 0,50%, a 130.776, renovando recorde.

 

A bolsa de valores brasileira, a B3, fechou em alta de 0,50% (8º pregão seguido), a 130.776 pontos, na maior série de ganhos desde 2018, renovando máximas e superando os 131 mil pontos pela primeira vez.

Nesta sessão, os bancos foram os principais responsáveis pelo resultado positivo da bolsa. O Itaú Unibanco PN fechou em alta de 2,35%, o Bradesco PN valorizou-se 1,25%, o Banco do Brasil ON avançou 2,15% e o Santander Brasil Unit subiu 1,89%.

 

No melhor momento do pregão, o Ibovespa alcançou 131.190,30 pontos — nova máxima intradia. Veja mais cotações.

 

Com o resultado, a bolsa acumulou avanço de 3,61% no mês e de 9,88% no ano.

 

Cenário
No exterior, os preços do petróleo recuavam nesta segunda-feira, após terem chegado a tocar mais cedo níveis acima de US$ 72 por barril.

 

Na China, os preços do minério de ferro recuaram 4,4% nesta segunda-feira, após dados comerciais moderados e menores margens de lucros em siderúrgicas reduziram o entusiasmo do mercado sobre as perspectivas de demanda pelo material usado na fabricação do aço.

 

Por aqui, os analistas do mercado financeiro elevaram a projeção para a inflação de 2021 de 5,31% para 5,44%, segundo pesquisa Focus do Banco Central. Já a expectativa de crescimento do PIB deste ano passou de 3,96% para 4,36%. O mercado manteve em 5,75% ao ano a previsão para a Selic no fim de 2021. Já a projeção para a taxa de câmbio no fim do ano permaneceu em R$ 5,30.

VOLTAR IMPRIMIR