SOBRE A ERS SERVIÇOS CONTATO TRABALHE CONOSCO MAPA
OK
Recuperação
Há uma mudança no perfil das recuperações judiciais no Brasil?
Sim
Não
Empresas em recuperação e o alívio no STJ

Por Valor Econômico

No mundo empresarial e jurídico, nenhum posicionamento é inflexível. As mudanças de interpretação em determinados assuntos nada mais são do que fruto da evolução comportamental. Como afirma o filósofo alemão Göethe: "Só não muda de opinião quem não tem opinião". E, neste ano de 2017, houve muitas mudanças em relação à Lei 11.101/05 – que trata da recuperação judicial de empresas. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) deu um passo importante ao analisar um recurso especial de Mato Grosso. Os ministros entenderam que um plano de recuperação judicial, embora formulado por uma empresa em dificuldade financeira, é o maior elo de negociações que pode ocorrer entre todos os envolvidos. Dessa forma, uma vez aprovado, significa que é lei entre as partes e gera obrigações – mesmo em caso de recusa de alguns. Houve uma inovação. O STJ permitiu que o patrimônio dos sócios e de qualquer outra pessoa que apostou na empresa devedora mediante seu aval, fiança ou qualquer outra espécie de garantia, possa ter a mesma proteção da recuperanda. O STJ inaugurou uma nova fase da Lei 11.101, em que a proteção patrimonial deverá existir não apenas para a recuperanda, mas também para o sócio A repercussão inovadora do efeito jurídico foi tamanha que a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) entrou no processo como terceira interessada, representando todas as instituições financeiras filiadas. O propósito é a modificação do posicionamento dos ministros. Os bancos, pelo novo posicionamento do Poder Judiciário, não conseguirão executar os bens dos sócios e demais coobrigados, justamente porque as garantias perderão a sua eficácia. Se por um lado este fato causou preocupação nas instituições financeiras, por outro há uma maçante comemoração das empresas. Afinal, terão a oportunidade de conseguir melhores condições de pagamento – em especial prazos, descontos e outros meios de ajuste de caixa, o que certamente cria uma condição muito mais favorável de negociação. E mais: havendo o cumprimento do plano aprovado, cuja forma de pagamento sempre será melhor do que os contratos originais, verão todas as execuções ajuizadas encerradas – seja contra a empresa em recuperação, seja contra os sócios ou outro empreendedor que deu patrimônio pessoal para garantir da dívida.

Em 12 anos da existência da Lei de Recuperação Judicial, essa foi a maior inovação ocorrida. Houve um alívio para advogados que defendem empresas. Isso porque a mudança permite efetiva recuperação econômico-financeira da empresa.

Na prática, a repercussão do julgamento do STJ já começa a ser difundida, gerando os seus primeiros frutos. Como exemplo, é possível citar um caso da Justiça de São Paulo. O juiz Felipe Albertini Nani Viaro, titular da 26ª Vara Cível da Comarca de São Paulo, analisou embargos à execução de dois sócios de empresa em recuperação judicial.

O pedido foi coincidentemente formulado no Estado de Mato Grosso, onde, aliás, nasceu a tese. O juiz entendeu, no último dia 29 de maio de 2017, que o plano de recuperação judicial homologado pela Justiça mato-grossense obriga a extinção do processo, justamente por prever que as garantias prestadas pelos sócios estava suprimida por uma cláusula constante daquele mesmo plano. Na ocasião, foi mencionado justamente o REsp 1532943/MT (2015/0116344-4).

Com base naquela situação, a Justiça entendeu que não há dúvidas de que a existência da premissa do plano que prevê a supressão da garantia prestada é relevante o suficiente para a própria extinção da ação de execução promovida contra o sócio. Dessa forma, é possível concluir que a decisão do STJ inaugurou uma nova fase da Lei 11.101/05, em que a proteção patrimonial deverá existir não apenas em relação à empresa recuperanda, mas também para o sócio e qualquer outra pessoa que apostou o seu patrimônio pessoal na atividade produtiva. Quebra-se, com isso, o maior paradigma que recaía sobre o instituto da recuperação judicial, o que certamente colocará os empresários numa melhor posição negocial.

Allison Giuliano Franco e Sousa é advogado especialista em Recuperação Judicial, associado da ERS Advocacia.

Este artigo reflete as opiniões do autor, e não do jornal Valor Econômico. O jornal não se responsabiliza e nem pode ser responsabilizado pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso dessas informações

Confira também:
» Taxa de juros
» Palestra na FIEMT
» Recuperação no Agronegócio
» Recuperação Judicial da Petroluz
» Plano de Recuperação Judicial da Agroleste
» Plano de Recuperação Judicial da TUT Transportes
» Plano de Recuperação Judicial da Agroleste Homologado
» Empresa consegue recuperação judicial e mantém mais de 4 mil empregos
» Empresa consegue decisão para não pagar ICMS em PIS/Cofins
» Passageiros da TAM que esperaram 7 horas para vir à Cuiabá são indenizados
» Recuperação Judicial
» Contratos de Compra e Venda
» Artigos e Notícias de Março
» Artigo "A Efetividade da Tutela Jurisdicional na Justiça Laboral"
» Artigo "A recuperação judicial, seus benefícios diretos e indiretos"
» Recuperação Judicial "Colégio Isaac Newton - CIN"
» Recuperação Judicial "Viana Trading"
» Assembléia aprova plano de recuperação judicial
» Grupo Guimarães entra em recuperação judicial em MT
» Destilaria de Álcool Libra também obtém proteção
» Grupo mato-grossense abre negociação com os credores
» Pedido de fôlego em MT
» Crise mundial e seus reflexos na Lei de Recuperação Falências
» Programa é atrativo
» Requerimentos aumentam 350%
» Justiça autoriza destilaria Libra a moer cana-de-açúcar
» Homologado plano de recuperação do grupo Redenção
» EMPRESA CONSEGUE DECISÃO SOBRE ICMS INÉDITA EM MATO GROSSO
» Credor aprova plano de recuperação da Libra
» Estado de Sítio no Fórum
» Anhambi ganha ação na Justiça para mudar cobrança do ICMS
» SEFAZ-MT legaliza a coerção de empresários via Portaria
» Advogado faz denúncia contra Sefaz por portaria que legaliza a coerção
» Virtualização e novo CPC prometem rapidez na Justiça
» Advogado de MT apela para que STJ unifique as decisões de recuperação
» Usina volta a processar
» JUSTIÇA NÃO TEM PREÇO
» A Recuperação Judicial dos Produtores Rurais
» Usina Guaricanga tem processo trabalhista suspenso pela Justiça
» Advogado inova e lança video sobre recuperação judicial na internet
» JUSTIÇA DERRUBA TRAVA BANCÁRIA E TRAZ ALENTO A FRIGORÍFICOS EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL
» Credores aprovam o plano de recuperação da usina Guaricanga
» Guaricanga aprova plano de recuperação
» Credores aprovam o plano de recuperação da usina Guaricanga
» AP Serviços Agronômicos tem plano de recuperação aprovado por 100% dos credores em assembleia
» Fribrasil tem aprovação dos credores em assembleia
» Transportadora ganha ação contra motorista externo
» Banco financia as operações de empresa em recuperação
» Grupo de empresas de venda de peças pede recuperação judicial em MT
» Pedido de recuperação cresce
» Empresa de insumos tem pedido de “socorro” aceito
» Forteboi tem recuperação judicial aceita
» Grupo pioneiro em serviços na área ambiental tem pedido deferido
» Construtora em MT entra em recuperação judicial
» Aval legitima tentativa do grupo reverter a crise
» Justiça homologa recuperação de dívidas de R$ 45 mi do Grupo Dibox, em VG
» Decisão do TRT abre precedente em recuperações judiciais
» Ministro do STJ debateu a recuperação judicial em Cuiabá
» Ministro do STJ participa de evento em Cuiabá sobre recuperação judicial
» Seminário sobre recuperação judicial será realizado em Cuiabá
» Com dívida de R$ 73 milhões, rede São Bento pede recuperação judicial
» Endividada rede São Bento de farmácias pede recuperação judicial
» Revendas da Volks pedem recuperação judicial
» Trescinco e Ariel ingressam com pedidos de recuperação judicial
» Com dívida superior a R$ 80 mi, Grupo Trescinco pede recuperação judicial
» Ariel obtém recuperação judicial; Trescinco aguarda análise judicial
» Recuperação judicial da Trescinco é aprovada e advogado receberá R$ 600 mil
» Recuperação judicial afeta empresas
» Tribunal manda Usina Alcopan pagar R$ 1,6 milhão a advogados
» Palestra no auditório do Sinduscon/MT aborda a 'Recuperação Judicial'
» Evento discute recuperação judicial em MS
» Empresas buscam gerenciar crise
» Setor de transportes em Mato Grosso é afetado pela crise
» Credores aprovam plano
» STJ entende que cláusula de plano aprovado vale para todos os credores
» Com dívidas de R$ 6 milhões, Luciula Calçados entra em recuperação judicial


Ministro do STJ debateu a recuperação judicial em Cuiabá
Empresas em recuperação e o alívio no STJ
Com dívidas de R$ 6 milhões, Luciula Calçados entra em recuperação judicial
STJ entende que cláusula de plano aprovado vale para todos os credores
Credores aprovam plano
Setor de transportes em Mato Grosso é afetado pela crise
20.10.17 14h34
Rio de Janeiro aprova cobrança de ISS para Netflix e Spotify
20.10.17 14h30
Em campanha, cervejarias artesanais dos EUA criam 'vaquinha' de US$ 213 bilhões para comprar a AB InBev
20.10.17 14h29
Presidente da Oi diz que empresa está 'aberta' a novo adiamento de assembleia de credores
19.10.17 16h16
Recuperação judicial da Trescinco está próxima
19.10.17 14h38
Conselho da Oi aprova novo plano de recuperação judicial